MÚSICAS

sexta-feira, 17 de março de 2017

Projeto GuarujAlpha


Eu acho que tem momentos na vida dignos de registro.

O primeiro beijo, as boas viagens, os grandes porres...

Cesinha sonhando com
 nossa babá (eletrônica)

















Ainda mais hoje em dia, com tantas possibilidades e praticidade pra fazer tais registros.




Então aqui vai o registro da primeira "viagem de turma de pais frescos",  dentro de um projeto que eu inventei (tenho inventado bastante coisa não tão útil...) e que apelidei de GuarujAlpha, a fim de integrar nossos pequeninos nascidos recentemente, ou seja, na Geração Alpha!







Participação especial: Sarinha (da Geração Z)


Marcel, exausto, depois de correr do banheiro até a cozinha



Foi um rolê pra comer (bem) e...



...descansar também!



"Eu vou na praia, papai...Fui!" 













Mila, Liz e Victor...curtindo.







Nem as pombas aguentaram o calor...

"É sério isso??" 


.
.
.
.
.
.
.
.
.



.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

"Eu quero mais viagens!"




terça-feira, 7 de março de 2017

Sonho de menino


Essa noite minha irmã Valéria visitou-me num sonho. Aquele tipo de sonho onde vc não é apenas um personagem, mas atua nele e age com consciência. Então, como eu tinha essa consciência, fiquei um pouco assustado mas curioso ao mesmo tempo. Há tempos que não sonhava com a Vá e estava sendo tão natural e diferente ao mesmo tempo que deixei o susto de lado. Foram momentos gostosos e pude matar um pouco a saudade dela com abraço e até chôro. Nos meus sonhos consigo chorar mais facilmente do que na minha racionalidade cotidiana...

Não lembro agora de todas as passagens. Ao acordar lembrava. Mas lembro bem do final do sonho.

Estava eu dependurado numa escada, consertando algo como um varal ou coisa parecida. Havia uma reforma nessa casa que parecia ser a casa do meu irmão Fernando. Lembrei então da Vá e perguntei em voz alta se ela ainda estava por ali e se tinha mais algo pra me dizer. Olhei pra baixo ao redor da escada vendo se a encontrava e a avistei numa janela acenando pra mim e sorrindo gigante como ela sempre fazia. Então, respondendo minha pergunta eu acho, pude ver ao lado dela algumas crianças brincando. Fiquei pensando quem poderiam ser e lembrei imediatamente do Fê e da Lú que decidiram entrar na fila de adoção recentemente. Também pensei se teria algum menino junto pois estávamos com um palpite que a Mila ganharia um irmãozinho e não irmãzinha. Me pareceu que eram duas ou três crianças e entre elas um garoto um pouco maior, sentado, que fiquei olhando por mais tempo e pensando se não poderia ser o "Fábio Jr.". Na verdade já fiquei pensando no nome que penso em dar a ele mas que ainda não defini com a Alê.

Acordei. Me senti leve, pleno. Feliz por ter compreendido a sua visita e com a certeza de que logo teremos mais crianças na família.

Levantei então pra levar minha mãe num exame. Sem premeditar nada, acabei indo parar no laboratório onde a Alê fez o exame de sexagem semana passada. Minha mãe precisava refazer um outro exame de sangue e não queria repetir no mesmo lugar. Pensei então que talvez já pudesse ter saído o resultado da sexagem. Não custava tentar. Minha irmã me avisou.

E tava pronto sim. Esperamos um menino!  \o/

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

dezdefevereiro


Dia loooongo esse.

Tão longo que já quase é amanhã!

Dia de pensar na vida, dia de saudar a vida...

Dia de acordar cedo e sair de casa antes de ouvir os passinhos da Mila correndo pra lá e pra cá.

Dia de passar na farmácia.

Dia de chegar na minha mãe pra levar-lhe um remédio pra pressão e ter o prazer, a oportunidade (já que ela dormia) de também levar-lhe um cafezinho na cama.

E mais prazer ainda quando ela me abraça bem forte, agradecendo esses mimos...ou apenas minha passada pra vê-la.

Dia de receber, às 11:15 hs, uma notícia boa num teste que deu positivo...

Dia de chegar então, quase em cima da hora, pra uma reunião importante.


Dia de me apresentar e conhecer pessoas importantes.

Dia de sair apressado da reunião, comer um pastel de vento que já foi de queijo e assistir uma aula de espanhol, importante para mim, só que muito mais importante para meu Maestro.

Dia de levar roupa na lavanderia. Ouvir que o amarelado daquela camisa pode não sair completamente, mas vai  melhorar com certeza. E de lá vestir paletó e gravata que já não me cabem tão bem.

Dia de me incomodar com o colarinho, com o naipe da gravata, ou seja, dia de concluir que preciso de roupa nova. Ou perder meus novos quilos.

Não. Não acho que vou perder meus novos quilos. Tvz agora até ganhe mais!

Dia de ficar trabalhando até mais tarde pensando em comprar flores.

Dia de trocar as flores por pão de mel.

Então chegar tão tarde que a Mila já dormia.

Encontrar a Alê, brindar a notícia boa e repensar o futuro.

Agora com "doinenê".


Um dia pra marcar esses fatos que tanto me marcaram.

.
.
.
.
.
.
.
.

Agora vamos ensaiar pra contar
A Novidade...

video
VÍDEO

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Doinenê


um mês, nossa filhotinha vem repetindo isso várias vezes ao dia:


"doinenê"


Daqui dois dias devemos saber se a Pequena Mila puxou a mediunidade da vovó Marisa...


...ou não!


segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Metas!


Se não houver "contratempos", tenho algumas metas pra esse ano:
  1. Correr uma Meia Maratona;
  2. Correr a Escape Trail Run (Campos do Jordão);
  3. Disputar o Rei e Rainha do Mar;
  4. Arrumar meu armário.

De todas elas, a quarta vai ser bem complicada... Mas sou otimista!


E por falar em metas, algumas bem legais estão nesse episódio do Por Falar em Corridas, um ótimo podcast de corridas!


MÊS A CONFIRMAR:


ABRIL:
  • 01/4



MAIO:
  • 27/5
http://sevenrun.com.br/




JUNHO:
  • 11/6
http://21ksudamericano.ativo.com/floripa/

Inscrições: serão encerradas 07 (sete) dias antes do domingo marcado para a realização da corrida, ou em data anterior a esta, caso seja atingido o limite técnico definido para cada corrida.


sábado, 21 de janeiro de 2017

Staff Benda Bilili - o olhar além das aparências


Enquanto Mila Valéria nanava gotoso na casa da vovó, fomos assistir o show da banda Staff Benda Bilili, no Sesc Pompéia.




Conheci o Staff através de um documentário nas sessões do In-Edit há alguns anos e pirei com a história deles, ficando desde então torcendo e mentalizando pra que um dia fizessem uma apresentação por aqui. Vieram e com certeza piraram mais gente ainda pois simplesmente não dá pra ficar parado no show dos caras.

Nem nós e nem eles!

video
VÍDEO

video
VÍDEO

A banda é formada por músicos de rua de Kinshasa, no Congo, com metade dos componentes se apresentando freneticamente (eu repito, FRENETICAMENTE!) em cadeiras de rodas e muletas!

A pólio não segurou o talento do Staff

É muita energia! 

Energia de vida, emanada através da música, do som africano, tribal, com seu ritmo quebrado, fazendo neguinho entrar em um verdadeiro transe no Sesc.

Final do show, Van Basten ainda tentou dar um chego no back stage pra gravar uma saudação da trupe pro Ronca Ronca mas seu congolês tava meio enferrujado e não rolou.


Eu, Inácio, Alê e Jorge Van Basten


Parâmetro galgados com uma evidente conclusão: "nós" é que somos limitados. Se bobear, a banda ainda tinha gás pra esticar a noite num forró da Vila Madalena...

Que sui generis esse show!

video
VÍDEO

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017